O bem comum

O bem comum é o conjunto das condições da vida social que permitem, tanto aos grupos como a cada membro , melhores condições de vida às pessoas, capacitando-as para o caminho da igualdade social.

Sabe aquele sentimento bom de realizar uma atividade que te deixa feliz, que permite que você se sinta realizado? É assim que me sinto, quando participo, colaboro, apóio projetos e movimentos sociais.

Fui coordenador de Grupo de Jovens e coordenador Diocesano da Pastoral da Juventude, voluntário na escolinha do Exército de Salvação e no Grupo de Apoio a Criança.

Atualmente me esforço para conciliar os seguintes trabalhos comunitários:

– Movimento Contra a Cava Subaquática (Cava é Cova): grupo composto de estudantes, professores, entidades, pescadores, sindicatos, pesquisadores e ambientalistas que lutam contra um lixão tóxico no meio do manguezal.

– RENOVABR Cidades: um programa do RENOVABR, a maior escola de formação de políticos do Brasil, que preparou 1400 cidadãos em um curso de 96 horas com os maiores especialistas do Brasil. Ética, Finanças Municipais, Liderança, Inovação, Saúde, Educação, Planejamento Urbano foram alguns dos temas tratados com o objetivo de transformar pessoas comuns em políticos fora do comum.

– Embaixadores Politize: um programa de uma entidade chamada Politize que tem entre seus objetivos fortalecer a democracia e levar educação política de forma fácil e descomplicada a qualquer pessoa em qualquer lugar.

– Movimento Acredito: é um movimento fundado por jovens que objetiva mudar o Congresso Nacional, como novos princípios e outra prática política e desta forma construir um país menos desigual, mais justo e desenvolvido.

– Pastoral da Cidadania: braço da igreja católica que trabalha com temas ligados a fé e o exercício da cidadania. As principais atividades na diocese de Santos são a Semana da Cidadania, o Grito dos Excluídos e formações relacionadas ao voto consciente e a participação do cristão na sociedade.

– SOMECA (Sociedade de Melhoramentos do Jardim Casqueiro): representa os interesses do bairro e adjacências junto ao poder público além de promover ações sociais e culturais.

– Projeto Amor no Cabide: arrecadação e doação de roupas e calçados.

– ISACVP (Instituto Sócio Ambiental e Cultural da Vila dos Pescadores): entidade criada para defender o meio ambiente, a pesca artesanal os direitos dos moradores da Vila dos Pescadores.

E foi por participar neste monte de iniciativas que percebi que por mais que eu me esforce, o impacto das minhas ações sociais é limitado. Por outro lado, infelizmente, eu não me sinto representado no legislativo municipal, seja na questão dos princípios, dos valores, das prioridades, tão pouco na prática política, precisamos acabar com o “toma lá, da cá”.

As pessoas querem ter acesso aos serviços públicos sem ter que pedir favor a políticos, os cubatenses desejam conseguir um emprego e ter uma vida digna com o suor do seu rosto.

 

Por estes motivos e para dar voz aos movimentos sociais e ambientais da nossa cidade, que estou pré-candidato a co-deputado estadual no coletivo RAIZ TRABALHISTA