BIOGRAFIA

Cresci na Vila dos Pescadores ouvindo os apitos dos trens que desciam a Serra para descarregar grãos nos armazéns santistas, ouvindo os apitos dos navios ao entrar no Porto de Santos trazendo mercadorias do exterior e também, os inúmeros apitos que indicavam a troca de turno das fábricas do Pólo Industrial de Cubatão. Mas, essa pujança não chegava à Vila dos Pescadores.

 

O bairro onde eu fui criado é um local com extrema vulnerabilidade social, com cerca de 40% da sua população vivendo em palafitas sobre o mangue, com o pior índice de desenvolvimento humano da cidade e um dos piores da região metropolitana, tudo isso em uma cidade que prevê arrecadar mais de 1,3 bilhões de reais em impostos só em 2020.

Assim, desde criança, entre empinar pipa na linha férrea, pular da ponte para tomar banho no Rio Casqueiro ou nadar na subida da maré no mangue, sem me dar conta, a questão da economia e o impacto que ela possui sobre a vida das pessoas – especialmente aquelas que viviam no meu bairro –  acabaria por me levar a cursar Economia na faculdade pois eu queria entender porque havia pobreza e como seria possível mudar essa realidade.

Dessa forma, meu objetivo de vida passou a ser ajudar a transformar, ajudar a melhorar a vida das pessoas pois acredito que não é possível ser feliz, seguir a vida tranquilamente sem oferecer igualdade de oportunidades e de condições para que todos tenham uma vida digna. Uma das formas de alcançar este objetivo, foi através do serviço público municipal onde trabalhei por 15 anos diversos cargos e funções.

 

Como nada na vida vem fácil para quem é da periferia, comecei como estagiário, depois terceirizado, celetista, auxiliar, técnico até que entre 2010 fui convidado para ser gerente da Unidade de Saúde da Família da Vila dos Pescadores (Antigo PAMOS). Que experiência fantástica, ter a oportunidade servir às pessoas que me viram crescer, meus amigos, a minha família, a minha comunidade. Em busca da melhora contínua, me especializei em Gestão Pública e Regulação em Saúde e hoje faço Mestrado em Políticas Públicas na Universidade Federal do ABC.

Hoje, eu atuo com estudos de viabilidade técnica e econômica de projetos de desenvolvimento da produção de petróleo no Pré-Sal da Bacia de Santos na PETROBRAS. Mas, a questão de estar inserido na minha comunidade e de alguma maneira, em lhe ser útil nunca me abandonou, e com base na minha paixão pelo “bem comum”, seja através da política ou através de projetos sociais, sinto que é onde verdadeiramente eu me realizo. Por isso, tenho atuado em diversos movimentos socioambientais:

– Movimento Contra a Cava Subaquática (Cava é Cova): grupo composto de estudantes, professores, entidades, pescadores, sindicatos, pesquisadores e ambientalistas que lutam contra um lixão tóxico no meio do manguezal.

– RENOVABR Cidades: um programa da escola RenovaBR, a maior escola de formação de políticos do Brasil, que preparou 1400 cidadãos em um curso de 96 horas com os maiores especialistas do Brasil. Ética, Finanças Municipais, Liderança, Inovação, Saúde, Educação, Planejamento Urbano foram alguns dos temas tratados com o objetivo de transformar pessoas comuns em políticos fora do comum.

– Embaixadores Politize: um programa de uma entidade chamada Politize que tem entre seus objetivos fortalecer a democracia e levar educação política de forma fácil e descomplicada a qualquer pessoa em qualquer lugar.

– Movimento Acredito: é um movimento fundado por jovens que objetiva mudar o Congresso Nacional, como novos princípios e outra prática política e desta forma construir um país menos desigual, mais justo e desenvolvido.

– Pastoral da Cidadania: braço da igreja católica que trabalha com temas ligados a fé e o exercício da cidadania. As principais atividades na diocese de Santos são a Semana da Cidadania, o Grito dos Excluídos e formações relacionadas ao voto consciente e a participação do cristão na sociedade.

– SOMECA (Sociedade de Melhoramentos do Jardim Casqueiro): representa os interesses do bairro e adjacências junto ao poder público além de promover ações sociais e culturais.

– Projeto Amor no Cabide: arrecadação e doação de roupas e calçados.

– ISACVP (Instituto Sócio Ambiental e Cultural da Vila dos Pescadores): entidade criada para defender o meio ambiente, a pesca artesanal os direitos dos moradores da Vila dos Pescadores.

Infelizmente eu não me sinto representado no legislativo municipal, seja na questão dos princípios, dos valores, das prioridades, tão pouco na prática política, precisamos acabar com o “toma lá, da cá”. As pessoas querem ter acesso aos serviços públicos sem ter que pedir favor a políticos, os cubatenses desejam conseguir um emprego e ter uma vida digna com o suor do seu rosto.

 

Por estes motivos e para dar voz aos movimentos sociais e ambientais da nossa cidade, sou pré-candidato a vereador.

Renovar é preciso, caminhos iguais não levam a lugares diferentes.